SERGIO MARONE – As Caras & Bocas de um vilão irresistível

A janela indiscreta

Em entrevista exclusiva, o ator revela seus segredos e deixa você dar uma espiadinha

IMG_7769 - Final CMYK_fotoRobertSchwenck cópia

Ligado nos 220W, ele não para. Corre para atender a atribulada agenda de compromissos, que inclui gravações, desfiles, eventos, está sempre interagindo com seus fãs no twitter, descolando um projeto aqui, outro ali, e com 1,93 m de pura disposição, ainda arruma tempo para ser baladeiro e dar o ar da graça nas festas mais hypes de São Paulo e do Rio de Janeiro.

No auge de seus 28 anos, o ator tem ainda o mesmo pique mental. Longe do estereótipo do galã que não tem opinião, defende causas ambientais, se manifesta (e como!) quando o assunto é política e abre um sorrisão ao sair para gravar e segurar o rojão de interpretar Nicholas na novela “Caras e Bocas”, um vilão irresistível, que depois de aprontar todas, anda comendo o pão que o Diabo amassou.

E se por um lado Nick vive a dura tarefa de se redimir no folhetim, São Marone nos redime por aqui, abrindo o jogo sobre sua vida, seus amores, seus segredos… Pegue a cadeirinha, o binóculo e espie de camarote…

Você já declarou que curte fazer vilões. Como está sendo interpretar o Nicholas?

Muito bom! É um personagem muito difícil e, sem dúvida, meu maior IMG_8114 - Final CMYK_fotoRobertSchwenck cópiadesafio até hoje. Fora que também é uma delícia fazer mais uma novela de sucesso e poder conviver com pessoas tão divertidas, engraçadas e cultas, como o Ary Fontoura, a Deborah Evelyn, a Maria Zilda… Sem contar o próprio Walcyr, que é um autor superacessível.

Como está sendo o feedback do público?

O melhor possível! As pessoas amam e odeiam o Nick. Desde o começo, queria humanizá-lo pra despertar essa ambiguidade nas pessoas e conseguimos. Elas se divertem e torcem por ele, mesmo depois de tudo que ele aprontou (risos).

Você disse também que seu personagem sofreria de “Síndrome de narcisismo maligno”. Como você lida com a sua vaidade?

Vaidosos todos nós somos. Alguns em um nível extremo que chega a ser um distúrbio mental, como o Nick, que precisa ficar se autoafirmando o tempo inteiro. A minha vaidade está no trabalho, em estudar bem o meu texto e ser reconhecido pelo meu trabalho. Acho chato qualquer pessoa muito vaidosa porque tudo gira em torno dela. Quando se olha muito para o próprio umbigo pode ser perigoso.

Já namorou com beldades como Alinne Moraes e mulheres maduras como a Maitê Proença. O que te seduz e o que te entedia numa mulher?

Beleza, bom humor, inteligência e feminilidade me seduzem muito. Me entediam mulheres que falam, riem alto demais ou que não tem assunto.

Acredita em amor para toda a vida?

Acredito que o amor se transforma e aí sim pode durar a vida toda, mas não com a mesma intensidade e desejo.

Mudando de assunto, há pouco tempo, você encabeçou um movimento de protesto no twitter contra os senadores. Como é sua relação com a política?

Quando jovem, achava política algo muito chato. Hoje eu sei que a vida

tem muitas coisas chatas com as quais temos que conviver, e política é

uma delas. Até porque são vereadores e senadores que normatizam e organizam coisas diretamente relacionadas ao nosso cotidiano e que interferem na nossa qualidade de vida, como coleta de lixo, distribuição de água e transportes coletivos. Acho o brasileiro muito acomodado. Não lutamos pelos nossos direitos. Entendo que a democracia aqui ainda é muito jovem, tem mais ou menos 30 anos, mas já é hora de irmos às ruas até conseguir derrubar o “Saynão” do Senado. Exigir reformas políticas e medidas que proíbam os políticos com fichas sujas de se candidatarem, e muito menos se elegerem. Como é que pode Collor, Sarney, Maluf, Renan, Garotinho e tantos outros estarem atuantes ainda hoje? Isso é um absurdo…

Tem um candidato em mente para a presidência?

Ainda quero avaliar melhor as propostas de cada um. Só acho que do jeito que está não dá pra ficar!

E a vida profissional? Planos durante ou depois da novela?

Tenho dois filmes que estão pra acontecer durante a novela. Um curta

que será rodado em Manaus e fala da crise climática mundial e o homem no meio disso tudo, além de um longa que estamos em negociações de datas com a Globo. Vamos ver…

IMG_7795 - final CYMK_fotoRobertSchwenck cópia

Nome completo: Sergio Passarella Marone

Local de nascimento: São Paulo

Signo: aquário

Prato e/ou restaurante: Restaurante Nam Thai

Não vivo sem: Arte

Time de coração: São Paulo FC

Maior alegria: trabalhar e viver a vida.

Uma saudade: de não ter responsabilidades e poder apenas viver a vida

Um lugar no mundo: O mundo todo

Uma música: “Dream a little dream of me”, da Ella Fitzgerald

Um filme: Dogville

Um ator: Marlon Brando

Uma atriz: Merryl Streep

Um diretor: Fernando Meirelles

Um defeito: teimosia

Uma qualidade: Generosidade

Sonho realizado: comprar um apartamento na zona sul com espaço para pendurar um saco de boxe, colocar um tatame para fazer ioga e alongamento, além de ter uma hortinha orgânica

Sonho a realizar: fazer arte até os meus últimos dias

Uma mulher bonita: Natalie Portman

Um livro de cabeceira: “O Aprendiz da Liberdade” do psicanalista

evolucionista Francisco Daudt.

Uma frase: “Tudo está interligado, os rios, mares, plantas animais e o homem…Todos pertencemos a mesma família e tudo o que acontecer com a Terra, acontecerá com os filhos da Terra”

* Entrevista publicada na Alpha Magazine, Edição 121 http://www.alphamagazine.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Entrevistas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s